Compartilhe
facebook twitter gplus mail

Hampi e Jaipur: você precisa conhecer!

29/08/2019

Por Juliana A. Saad. Especial para a The Traveller.

 

Hampi: você precisa conhecer

Acredite, eu acabei de voltar de lá e digo: esse é um pedaço da Índia que precisa entrar na sua rota! Não à toa, o New York Times elegeu esse patrimônio da humanidade como um dos destinos para se visitar em 2019. Sabe por quê?

Com templos e sítios arqueológicos superpreservados, Hampi foi capital do Império Vijayanagara de 1336 a 1565, e o complexo de palácios e templos, que teve seu auge no início do século 16, caiu no esquecimento até ser redescoberto no século 19. A área de cem quilômetros no vale do Rio Tungabhadra, no estado de Karnataka (um voo de 40 minutos liga a cidade a Bangalore), abriga mais de uma centena de templos, palácios, aquedutos, sofisticados poços em forma de pirâmide invertida e edifícios monumentais em pedra e granito com entalhes e detalhes que narram a saga de Vijayanagara, a Cidade da Vitória, tão magnífica que era comparada a Persépolis.

Hampi: mais de uma centena de templos, palácios e aquedutos

E você poderá se hospedar em um hotel que é um palácio em si, o Evolve Back Kamalapura Palace. Ele fica pertinho do complexo e é puro luxo: do conforto macio dos quartos com varanda e piscina aos restaurantes com alguns dos melhores pratos da viagem. A gentileza da equipe e o serviço impecável dão o clima de exotismo deluxe perfeito após um dia de explorações. Os dias na Índia são tão intensos e vibrantes, que a única coisa que sinto vontade de dizer é: vá, espetacular é pouco!

 

Maharani style em Jaipur
Os marajás foram os reis do mundo indiano por séculos. Seus palácios e cortes eram refinadíssimos e a cultura indiana sempre cultivou o amor às artes, arquitetura, vestimentas, joalheria... tudo que envolvesse beleza e sofisticação. Não à toa, o brilho das pedras preciosas, como rubis e esmeraldas, atingiu sua plena exuberância em joias feitas com técnicas de ourivesaria intrincadas e de rara magnitude. 

Entrada do Amber Fort, em Jaipur

A herança dessa Era pode ser vista em todo o país, mas no Rajastão, mais precisamente em Jaipur, atinge patamares indecentemente belos. E Jaipur, a “Pink City” – projetada pelo marajá Jai Singh em 1727, um visionário esteta que adorava astronomia, ciências, artes e arquitetura – é simplesmente espetacular. Depois de se deslumbrar com os palácios de arquitetura Mughal-Rajput, siga para os bazares (tecidos, sapatos, saris e objetos de decoração) e joalherias.

Aliás, dentro do próprio Palácio da Cidade há o atelier (royaljaipur.in) com joias, calçados e peças com design baseado nas coleções exibidas no museu do palácio onde vive a família real. A herança dessa Era pode ser vista em todo o país, mas no Rajastão, mais precisamente em Jaipur, atinge patamares indecentemente belos. 

O espetacular palácio Hawa Mahal em Jaipur

E Jaipur, a “Pink City” – projetada pelo marajá Jai Singh em 1727, um visionário esteta que adorava astronomia, ciências, artes e arquitetura – é simplesmente espetacular. Depois de se deslumbrar com os palácios de arquitetura Mughal-Rajput, siga para os bazares (tecidos, sapatos, saris e objetos de decoração) e joalherias. Aliás, dentro do próprio Palácio da Cidade há o atelier (royaljaipur.in) com joias, calçados e peças com design baseado nas coleções exibidas no museu do palácio onde vive a família real.

 

0 Comentário