Compartilhe
facebook twitter gplus

Uma viagem pela surpreendente Islândia

10/12/2019

Por Flavia Santos*. Especial para a Teresa Perez Tours

A Islândia é o destino ideal para quem busca uma grande diversidade de paisagens surpreendentes e diferentes experiências em um dos países mais isolados do mundo. Conhecida como a terra do fogo e do gelo, a Islândia é composta por campos de lava, gêiseres, cachoeiras, vulcões e praias de areia preta. Sua localização às margens do Círculo Polar Ártico propicia fenômenos como a aurora boreal e o sol da meia noite. Grande parte das atrações está na Costa Sul, mas o Norte mostrou que também pode ser surpreendente.

A pequena e supercharmosa Reykjavík
Para quem deseja conhecer a Islândia, a viagem tem sempre um ponto de partida - Reykjavík, a capital mais setentrional do mundo. Com o charme de cidade pequena, são pouco mais de 300 mil habitantes, ela é repleta de pequenas casas coloridas e uma pulsante vida cultural. É uma cidade para ser visitada a pé e apreciar, museus, galerias de arte, e atrativos como a Harpa, cujas luzes fazem referência à aurora boreal, a Hallgrímskirkja com design que remete a colunas de basalto, o Parlamento e claro, a vida noturna. Para completar a visita, o passeio de helicóptero proporciona uma experiência ainda mais completa ao redor de Reykjavík sob uma perspectiva diferente. Sobrevoar o vulcão inativo Thrihnukagigur e ver a cidade tão pequena de cima é indescritível. Durante o verão o vulcão possibilita uma visita em seu interior.

A Blue Lagoon

Região norte
Antes de explorar a Costa Sul, o roteiro segue para a Norte da Islândia, na Península de Troll, em Ólafsfjörður, com o trajeto de uma hora de Akureyri – conhecida como a capital do Norte. É possível chegar de carro e apreciar as belas paisagens no caminho (6 horas de viagem) ou com um voo (45 minutos) a partir de Reykjavík. Lá encontra-se o Deplar Farm, uma antiga fazenda de ovelhas que se tornou uma das propriedades mais exclusivas da Islândia. Com apenas 13 acomodações e uma excelente estrutura, o lodge tem atmosfera aconchegante e é ideal para quem busca tranquilidade e ao mesmo tempo diversas experiências. No inverno há atividades como snowmobiling, hiking, passeio a cavalo, heli-skiing, snowshoeing e caiaque. Já no verão é possível fazer pesca, passeio a cavalo, hiking, observação de baleia, passeio de RIB boat, entre outras.

O hotel inclui a maioria das atividades com guia particular e todas as refeições na diária. O lugar inóspito cercado por montanhas (cobertas de neve no inverno e verdejantes no verão), rios e lagos, forma um cenário estonteante e torna qualquer atividade ainda mais especial. No final do dia os hóspedes podem aproveitar a ampla área de entretenimento ou relaxar em algumas das salas de tratamento do spa ou na piscina externa com um bar acoplado, cercada por montanhas chamuscadas de neve. Nessa mesma piscina o hóspede pode esperar a graça da aurora boreal, que com seu lugar estratégico, também se tornou um observatório para o fenômeno. Avistar a aurora boreal da piscina ou da faixada do hotel, é realmente uma emoção indescritível, como se parássemos no tempo e entrássemos em outra dimensão. Sua localização remota o torna um dos melhores hotéis para observar o fenômeno.


Círculo Dourado 
A partir do Deplar Farm, segue-se para Akureyri, com um trajeto de uma hora de carro, seguido de um voo de 45 minutos com destino à Reykjavik. A partir da cidade os viajantes podem iniciar a experiência no Círculo Dourado - obrigatório para quem vai pela primeira vez. A primeira parada acontece no Parque Nacional de Thingvellir, Patrimônio Mundial pela Unesco, onde surgiu o primeiro parlamento do mundo e onde os viajantes podem caminhar ou mergulhar (para os mais aventureiros) entre as placas tectônicas norte-americana e euroasiática. A próxima parada acontece no Geysir, que deu origem ao nome de todos os gêiseres do mundo. É o gêiser mais famoso, mas o mais poderoso ainda é o Strokkur. Para completar o Círculo Dourado, visita à exuberante cachoeira Gullfoss, localizada no cânion do Rio Hvítá, com quedas d’água de 32 metros e uma das mais famosas da Islândia. Para visitar o Círculo Dourado e explorar parte da Costa Sul, há o hotel Rangá, localizado em Hella. Rústico, aconchegante, com decoração de madeira e alguns quartos temáticos, o Rangá proporciona o conforto e a tranquilidade de um lugar remoto. É também um ótimo lodge para observar a aurora boreal devido à distância de luzes artificiais. 

Passeio de snowmobile

Mais da Costa Sul
Outra surpresa na Costa Sul é Thórsmörk, que significa terra de Thor (Deus nórdico das batalhas e dos trovões). Cercado por majestosas montanhas e glaciares, o vale de Thórsmörk é realmente impressionante. Criam cenários deslumbrantes dignos de filmes. O passeio só pode ser feito com o Super Jeep para atravessar os campos acidentados com areia vulcânica e rios provenientes dos glaciares. Nem mesmo um carro 4X4 consegue fazer as travessias. A partir do vale avista-se os glaciares Eyjafjallajökull e Gigjökull. A sensação é de estar em outro planeta.
 
Explorando um pouco mais da Costa Sul, outro passeio se inicia pela praia de areia preta, em Reynisdrangar, com pilhas de basalto no Oceano Atlântico Norte. Uma praia deserta com água gelada nos dá uma sensação de paz e infinitude. Após as praias de areia preta, visita-se a imponente cachoeira Skogarfoss. Em seguida, uma experiência para os mais aventureiros é o passeio de snowmobilng em cima da geleira do Eyjafjallajökull, que se tornou um dos vulcões mais famosos da Islândia. A emoção de estar ao lado do topo do vulcão e ao mesmo tempo ver a imensidão do mar e as ilhas Vestmannaeyjar de longe é fascinante. 

Cachoeira Skogarfoss, um dos atrativos da Costa Sul

Para relaxar 
Uma viagem repleta de experiências e aventuras, pede um final para relaxar e recuperar as energias. Nada melhor do que finalizar o roteiro na Blue Lagoon, localizada em Grindavík, a aproximadamente 25 minutos do aeroporto internacional de Keflavik. As águas a 38 graus de temperatura, cercada por campos de lava e provenientes de uma fábrica geotérmica, são ricas em sílica e outros minerais que possuem propriedades medicinais e de rejuvenescimento. É nesse oásis que se encontra o surpreendente The Retreat. Inaugurado em 2018, o hotel conta com uma extensa lagoa privativa e acesso ilimitado à lagoa pública. Todas as acomodações têm uma vista espetacular (lagoon view ou lava view) e algumas possuem a própria lagoa privativa com acesso do quarto. A gastronomia também é surpreendente. Há o Spa Restaurant mais descontraído, o Lava Restaurant e o Moss Restaurant, que proporciona uma refinada experiência gastronômica de 5 a 7 courses. 

No hotel há um terraço para observar a aurora boreal. Sim, na Blue Lagoon também é possível avistar o fenômeno. A aurora acontece todos os dias, mas só se torna visível com condições climáticas e lua apropriadas e claro, com um pouco de sorte. O hotel oferece o serviço de northern lights wake up call para ser avisado durante a noite e quem sabe ver do próprio quarto. Uma experiência imperdível para quem está hospedado no hotel é o The Blue Lagoon Ritual. Como o próprio nome diz, é um ritual composto com sílica, algas e minerais. Em um espaço escuro no spa com luzes e aromas que nos fazem relaxar de imediato, o hóspede pode iniciar o ritual com minerais e areia vulcânica, deixar agir no corpo, enxaguar e depois cobri-lo com sílica. O tratamento de 10 minutos já é o suficiente para renovar a pele e deixá-la completamente macia.  

A Islândia é definitivamente um destino épico para visitar o ano todo. Quem vai no outono ou no inverno deseja voltar no verão ou na primavera e vice-versa. Para quem quer ver a aurora boreal é recomendado ir de setembro a abril. É um país que tem sido explorado pelo turismo aos poucos e se desenvolvido cada vez mais. Há projetos para abrir um novo hotel Edition em Reykjavík, em 2020, e um Six Senses no Leste, em 2022.
 

* Flávia Santos é especialista em experiências de viagem na Islândia e acabou de voltar do país. 

0 Comentário