Compartilhe
facebook twitter gplus

Viaje sem sair de casa: os lares do Marrocos

05/05/2020

Este é um momento para cuidarmos um do outro, para estarmos com a família e aquietarmos a mente. Para viajar, nem sempre precisamos sair de casa. No projeto Viaje Sem Sair de Casa, reunimos conteúdos superbacanas para você aproveitar com a família. Que tal conhecer o que cada destino tem de mais interessante? Da gastronomia a dicas de filmes e livros - tudo o que você precisa pra curtir um pedacinho do mundo na sua própria casa e conhecer outros lugares sob novas perspectivas. Boa viagem!

 

Os lares marroquinos: conforme as escrituras sagradas

O Alcorão ensina que jamais se deve profanar a intimidade do lar. O que se busca é garantir privacidade à família, algo descrito pelo livro sagrado do Islã como "essencial para a uma vida decente". 

No Marrocos, o mandamento é seguido tão à risca que está incorporado até mesmo à arquitetura dos riads. Por fora, a típica casa marroquina não impressiona, limitada a um paredão com uma porta e alguma janela no alto, afastada dos olhos de quem passa. O interior, ao contrário, é magnífico. 

O interior das casas marroquinas é sempre um ambiente sereno com portas e janelas voltadas para um pátio central

O coração do riad é um pátio sereno onde laranjeiras fazem sombra para uma pequena fonte de água. A casa ergue-se ao redor, com dois ou três andares, tendo as paredes revestidas de belos azulejos e as portas e janelas voltadas para o pátio. O suave som do jorrar da água é constante. 

No pátio do riad, pais e filhos descansam, conversam, leem, recebem os amigos. Como se vivessem numa versão reduzida do mundo exterior, eles ali têm contato com o sol, a chuva, o ar fresco, as plantas, os pássaros, a água. É onde os marroquinos encontram a privacidade que Deus tanto preza. 

O clássico elemento da decoração marroquina

O Islã condena a idolatria. Por isso, em revez de retratar humanos, a arte no Marrocos explora as formas geométricas. Isso fica claro no zellige, mosaico criado artesanalmente com pequenas placas cerâmicas de diferentes cores e formatos mergulhados numa base de gesso. As possibilidades de padrões são infinitas. O mais clássico e belo elemento da decoração marroquina surge em paredes, pisos, fontes d´água. Não há como não notar a semelhança entre as palavras zellige e azulejo. 

Zellige: o clássico mosaico criado artesanalmente é o elemento decorativo mais famoso do Marrocos e é encontrado em paredes, pisos, fontes d´água

A designer de interiores Marina Linhares esteve no Marrocos em 2019 e conta um pouco da sua experiência por Marrakesh e seu fascínio pela arquitetura e pelo desing da cidade. 

"Recentemente voltei ao Marrocos. Quando estive lá, há quase dois anos, quis descobrir tudo sobre Marrakech com aquela ansiedade gostosa da primeira viagem. Conheci souks labirínticos, riads suntuosos, jardins perfumados e inúmeras construções de terracota. Saí de lá entendendo os contrastes desse lugar colado no Deserto do Saara e coroado pela Cordilheira do Atlas ao fundo: na parte moderna, hotéis e casarões, como no bairro Guéliz; na parte antiga, a grande Medina cercada por muralhas.

Desta vez foi diferente, já que a viagem teve um objetivo específico: “farejar” e fotografar coisas belas que encontraria pelo caminho como inspiração e pesquisa para o meu segundo livro Alguém Passa por Aqui e Deixa Alguma Coisa. Acabei fazendo uma espécie de imersão na cultura norte-africana, em meio a aromas de especiarias, sons diferentes e coloridos absolutamente deslumbrantes. Quem já visitou o país sabe que cores vibrantes, como azuis, amarelos e vermelhos, estão por todos os cantos – nas portas das casas, nos jardins urbanos e museus e até na imensa diversidade de produtos à venda nas ruas."

0 Comentário