Compartilhe
facebook twitter gplus

A sincera hospitalidade japonesa

14/05/2020

Este é um momento para cuidarmos um do outro, para estarmos com a família e aquietarmos a mente. Para viajar, nem sempre precisamos sair de casa. No projeto Viaje Sem Sair de Casa, reunimos conteúdos superbacanas para você aproveitar com a família. Que tal conhecer o que cada destino tem de mais interessante? Da gastronomia a dicas de filmes e livros - tudo o que você precisa pra curtir um pedacinho do mundo na sua própria casa e conhecer outros lugares sob novas perspectivas. Boa viagem!

 

A sincera hospitalidade japonesa nos ryokans

No Japão, o contraste entre o tradicional e o moderno é um traço cultural conhecido, perceptível em várias regiões e que causa impacto imediato a quem visita o país. Escapando um pouco da grandiosidade cosmopolita de Tóquio, algumas cidades e províncias reservam experiências genuínas, revelando um Japão ainda mais incrível e cheio de personalidade. Hospedar-se em um ryokan é uma dessas experiências inesquecíveis.

No Japão, é comum ryokans instalados em locais de fontes de águas termais

Ao chegar nesta tradicional hospedaria japonesa, o visitante é recebido pela própria dona ou pela mulher do dono, que mostra um sorriso de sincera satisfação, como quem reencontra um amigo querido. Em seguida, oferece chá com docinhos. Assim se inicia uma experiência única. 

O hóspede, então, é conduzido aos quartos, que são decorados de forma sóbria e aconchegante, com um futon (o macio colchão japonês) estendido sobre o piso de tatames de palha. Como os tatames são trocados de tempos em tempos, sempre se sente o aroma da palha fresca. Uma porta de correr se abre para um jardim singelo e bem cuidado. O ryokan clássico tem ofurôs e piscinas de água termal. Os cenários e as acomodações variar, mas as inspirações de acolhimento são sempre as mesmas. 

Os japoneses têm uma palavra que traduz o jeito com que tratam os visitantes, sem esperar nada em troca: omotenashi. Tal acolhimento se vê no jantar e no café da manhã, quando uma funcionária pacientemente descreve cada prato enquanto serve a refeição no próprio quarto. 

Dos clássicos aos contemporâneos, os ryokans sempre ajudam a traduzir a sincera hospitalidade japonesa

O trabalho é feito com tanto carinho que os japoneses consideram a gorjeta ofensiva. A omotenachi é presente até na hora de ir embora. A mesma mulher que havia recepcionado faz vigorosos acenos de adeus e não cessa enquanto conseguir avistar, ainda que ao longe, os visitantes que acabam de parti. Um gesto que marca a mais sincera e autêntica hospitalidade oriental.

As vestes no ryokan

É comum o ryokan fornecer aos hóspedes a veste tradicional. Dessa forma, os japoneses se sentem em casa e os estrangeiros mergulham ainda mais na cultura local. O vestuário pode ser resumido nos seguintes ornamentos. 

Yukata
É um tipo mais leve de quimono, feito de algodão. É usado após o banho nas águas termais e durante o jantar, por exemplo.

Os sapatos ficam na entrada do ryokan, onde são substituídos por sandálias. Elas são usadas nas área de circulação. Dentro do quarto, anda-se descalço. É típico do extremo Oriente o costume de não usar calçado dentro de casa, por questão de higiente.

Geta
É uma sandália retangular de madeira com duas plataformas na sola. É usada em ambientes externos, como no jardim do ryokan.

Zori
É uma sandália feita com palha de arroz, calçada assim que o hóspede entra no ryokan. É adequada para ambientes internos. 

É comum o ryokan fornecer aos hóspedes a veste tradicional. Dessa forma, os japoneses se sentem em casa e os estrangeiros mergulham ainda mais na cultura local.
0 Comentário