Compartilhe
facebook twitter gplus mail

4 lugares para ouvir jazz em Nova York

07/11/2018
Apotheke, na Chinatown, inspirado na Paris do século 19 e influenciado pelos antigos boticários
Club Bonafide, instalado na 52nd Street, antigo reduto de diversos nomes do jazz, como Miles Davis e as divas Billie Holiday e Ella Fitzgerald

Quando o assunto é música, Nova York surge com um destaque merecidíssimo. A cidade é o berço de gêneros como o punk, RAP e de movimentos como o No Wave, todos nos anos 1970. Preservando a influência musical que exerceu nas últimas décadas, ainda hoje realiza musicais, festivais e shows, celebrando diferentes gêneros praticamente todos os dias. Nova York não desliga nunca! Quem tem uma parcela significativa na programação musical da metrópole é o jazz. Muitos espaços dedicam sua trilha sonora a apresentações de grupos que tocam do tradicional ao contemporâneo. E o melhor: além de proporcionarem boa música, são perfeitos para fugir do frio durante o inverno! Alguns muito conhecidos são Dizzy Club Coca-Cola, Iridium, Smoke Jazz Club Supper Club, Blue Note, Village Vanguard e o Café Carlyle, que conta com apresentações do diretor Woody Allen e sua banda de jazz, Eddy Davis New Orleans, todas as segundas. Listamos quatro nomes que nem sempre surgem entre os grandes destaques, mas têm igual adoração pela música jazzística em Nova York e são ótimas opções para aquecer o corpo e, claro, a alma!


Birdland Theater 
Ao pensar em jazz na cidade de Nova York, um dos primeiros nomes que vêm à cabeça é o Birdland. Oficialmente conhecido como Birdland Jazz Club, o local, instalado no Greenwich Village, em Manhatan, abriu, no último mês de setembro, um novo espaço. Não, não se trata de uma nova unidade. Com apenas 100 lugares, o Birdland Theater foi inaugurado no nível mais baixo do Birdland Jazz Club, antes uma área de armazenamento do prédio. A ideia é expandir um pouco as atrações com manifestações artísticas além do jazz, como dança contemporânea, burlesco e cabaret. Estará à disposição dos visitantes, também, um bar e um menu com o melhor da culinária local. 
birdlandjazz.com

Mezzrow 
Bill Evans, Thelonious Monk e Duke Ellington foram pianistas consagrados de jazz. Parte da memória deles está viva no Mezzrow, também no Greenwich Village. O espaço se dedica exclusivamente a apresentações com os melhores pianistas de Nova York. As apresentações são mais intimistas, sendo curta a distância entre os artistas e os visitantes. O Mezzrow é administrado pelos mesmos donos do já consagrado Smalls Jazz Club, que fica ao lado da casa. 
mezzrow.com

Club Bonafide 
Thelonious Monk também foi autor da clássica “52nd Street Theme”. O nome da música não é à toa. Em Midtown, a 52nd Street existe e, entre os anos 1930 e 1950, ficou conhecida como “Swing Street”. A via era um reduto de diversos nomes do jazz, como Miles Davis, Charlie Parker e Dizzy Gillespie, além das divas Billie Holiday e Ella Fitzgerald. Essa é a localização para lá de privilegiada do Club Bonafide. Desde 2015, o espaço realiza eventos de jazz e preserva a herança artística e cultural de sua rua​.
clubbonafide.com

Apotheke   
O jazz pode soar ainda mais agradável quando apreciado com bons drinques. Essa é a proposta do Apotheke, um bar escondidinho na Chinatown. Inspirado na Paris do século 19, ainda tem influência de antigos boticários. O balcão do local é tomado por frascos de ingredientes misteriosos, que proporcionam coquetéis deliciosos, apresentados de forma impecável. Os drinques são preparados com alimentos orgânicos, como ervas e frutas exóticas, vindos de fazendas próximas à cidade.
apothekenyc.com


Origem
O jazz surgiu no final do século 19, na cidade de New Orleans e tem suas origens nas manifestações religiosas dos negros, durante o período escravocrata no país. Aos poucos, foi tomando forma como um gênero musical, pautado, principalmente, no swing e na improvisação.

 

0 Comentário

Comentários com conteúdo impróprio e/ou spam poderão ser removidos.