Compartilhe
facebook twitter gplus mail

Inspiração aos pés dos Himalaias

23/08/2017
O Dwarika’s Resort proporciona uma série de serviços voltados ao bem-estar. De yoga à consultas com terapeutas Ayurveda.
Uma das hortas orgânicas astrológicas com plantações estão alinhadas com cada planeta do sistema solar

Por Erik Sadao

Pisei na cidade nepalesa de Dhulikhel meio que por acaso. Ela foi a última a ser incluída no roteiro que fiz pelo país este ano. O meu interesse pelas cidades do Nepal e da Índia, localizadas aos pés dos Himalaias, cresce à medida em que entro em contato com elementos da cultura nascida na região das montanhas mais altas do planeta. Todo mundo que mora em alguma grande  cidade deve conhecer alguém que se tornou adepto de técnicas de atenção  plena ou meditação, como mindfulness – incluindo este que vos fala! – ou de religiões como o  budismo  e o hinduísmo. Além disso, a busca pela longevidade fez com que a palavra Ayurveda, que define um dos sistemas medicinais mais antigos do mundo, desenvolvido pelos indianos há cerca de 7 mil anos, faça parte do vocabulário de todos que buscam o bem-estar. 

Em Dhulikhel, as maiores atrações  são as pagodas dedicadas ao budismo tibetano e os templos erguidos para deuses do hinduísmo, como Narayan (uma das reencarnações de Vishnu) e Kali (a esposa de Lord Shiva, um dos maiores deuses da santíssima trindade hinduísta), este último localizado no topo da  montanha do parque nacional da cidade, com vista privilegiada para os Himalaias. É neste cenário de templos ancestrais e comunidades quase intocadas, que está localizado o hotel- -spa mais incrível do país – o Dwarika’s Resort, fundado pela  segunda geração da família responsável pelo icônico hotel de mesmo nome em Kathmandu. Construído originalmente para ser um refúgio particular da família, que resolveu abri-lo ao público há cinco anos, o hotel tem pouquíssimos quartos – todos com vistas de tirar o fôlego! – e oferece uma série de tratamentos e atividades que justificam a viagem. Das práticas de yoga às consultas com astrólogos, médicos e terapeutas Ayurveda, tudo no hotel foi pensado para levar aos hóspedes um pouco do conhecimento da região, com a filosofia de respeito a todos os seres e à natureza. 

Em uma colina, foram instaladas sete cabanas em pontos estratégicos para alinhamento dos chacras, realizado com um mestre em meditação, que durante a terapia  nos ensina a potencializar a auto-cura baseada em cada um dos sete pontos energéticos do corpo. Na mesma colina, uma linda piscina panorâmica divide espaço com pequenos restaurantes, que possuem hortas orgânicas astrológicas próprias, cujas plantações estão alinhadas com cada planeta do sistema solar. 

No topo, além de uma das áreas de meditação e de prática de yoga mais visuais em que já  pisei, foi instalado um labirinto dedicado à Shiva, que convida os hóspedes a caminhar descalços ouvindo os sons da natureza, que se misturam a um mantra tocado durante o trajeto. Em todas as áreas do Dwarika’s Resort,  além do fantástico e saudável menu, é possível provar o chá de gengibre e especiarias assinado pelo hotel – cuja receita trouxe comigo para o Brasil. O spa conta com diversas salas de tratamento, todas equipadas com uma interessante sauna individual, que impede o hóspede de receber vapor no chacra superior, seguindo a tradição do povo veda de não expor o ponto energético mais importante do corpo a altas temperaturas. Além disso, uma sala construída com pedras de sal pode ser utilizada a qualquer momento para terapias. A sensação é tão revigorante quanto um banho de mar! A experiência no hotel é perfeita não apenas para quem escolhe o Nepal como destino. A parada em Kathmandu, que dá acesso a Dhulikhel, é estratégica para muitas regiões em alta na Ásia, como o Butão e o Tibete. Recomendo alguns dias no Dwarika’s Resort tanto para se recuperar dos trekkings nas montanhas e nos países vizinhos, quanto para se preparar e entrar no clima dos Himalaias. 

Sem dúvida, uma das regiões mais especiais do mundo.

0 Comentário

Comentários com conteúdo impróprio e/ou spam poderão ser removidos.

Onde ficar em Kathmandu