Compartilhe
facebook twitter gplus mail

Conheça as cidades onde vive-se mais e melhor

16/06/2017
Na Sardenha, o vinho Cannonau é apontado como responsável pela vida centenária da população
Os segredos da longevidade em Icária incluem a sesta diária e uma dieta rica em vegetais, grãos, azeite e leite de cabras

O tempo passa devagar nas Blue Zones, locais onde as pessoas comprovadamente vivem mais e melhor. Baseado nas explorações do pesquisador Dan Buettner, da National Geographic, destacamos os cinco destinos com estilo de vida revigorante, propícios para quem deseja desacelerar.

Por Fernando Torres. Especial para a Teresa Perez. 

 

Okinawa, Japão

Conhecido como o Havaí japonês, o arquipélago de 169 ilhas banhadas pelo Pacífico também se caracteriza pelas baixas taxas de mortalidade e de doenças como câncer, demência e osteoporose. A média de vida entre 90 e 100 anos é atribuída à alimentação, composta especialmente de alga kombu, batata-doce, soja e muito peixe. Tudo regado pelo suco de shikuwasa, espécie de laranja azeda que ajuda a acelerar o metabolismo e prevenir tumores. Outra peculiaridade: a prática hara hachi bu, que significa comer até estar 80% satisfeito. Mas vale também atribuir a longevidade oriental ao astral zen das ilhas de Okinawa, cruzadas via ferry boat. Com clima quente a maior parte do ano, a vida gira em torno do mar, ideal para praticantes de esportes aquáticos como vela, caiaque e windsurfe. O entorno também possui cavernas de calcário e uma das mais variadas vidas marinhas do planeta, com atraentes recifes de coral para mergulhadores.

 

Sardenha, Itália

Na segunda maior ilha do Mediterrâneo, é comum ouvir o cumprimento a cent’anni ou kent’annos, algo como “que você viva 100 anos”. O bom agouro tem grandes chances de se tornar realidade, já que a Sardenha possui o maior número de homens acima dos 100 anos do mundo. O curso da ampulheta, porém, pode ser curto para desbravar as montanhas da região de Barbagia, onde se concentra a maior parte dos centenários, e os quase 2 mil quilômetros de praias com enseadas irregulares, água azul-turquesa e areia branca finíssima – como o arquipélago La Maddalena e as famosas Costa Esmeralda, Cala Mariolu e Cala Goloritzè. A passagem do tempo também se reflete nas relíquias das civilizações fenícia e romana e nas muralhas e fortalezas que se debruçam romanticamente sobre o mar às margens das cidades medievais de Alghero e Castelsardo. Estar no paraíso merece um brinde à existência, de preferência, com um cálice de vinho Cannonau, apontado como um dos responsáveis pela vida centenária.

 

Icária, Grécia

Na tradição da mitologia, a ilha teria surgido quando o jovem Ícaro, voando com asas improvisadas de penas de gaivota e cera de abelha, caiu em pleno mar Egeu. Quis o destino reverso que o local da tragédia grega se transformasse em um dos lugares onde mais de 30% da população passa dos 90 anos. Entre as artimanhas dos descendentes de Ícaro estão o hábito sagrado de tirar a sesta diariamente e ter uma dieta rica em vegetais, grãos, azeite e leite de cabras – pastoreadas por eles próprios, diga-se de passagem. A romântica Icária ainda é privilegiada com oito fontes de águas termais radioativas, que atraem não só os habitantes, mas também turistas em busca de terapias naturais para reumatismo, problemas de pele e doenças respiratórias – a fonte Lefkada, na capital Agios Kirykos, é a mais famosa, com temperaturas entre 32°C a 56°C. Outra opção que favorece o bem-estar é se perder nas variadas trilhas sobre as montanhas ou nos 160 quilômetros de praias, como Seychelles, Armenistis, Messakti, Faros e Nas.

 

Península de Nicoya, Costa Rica

Os costa-riquenhos são há tempos conhecidos pela fama de longevos. Mas é neste pedaço quase intocado do paraíso da América Central, em alta entre os viajantes brasileiros, que se concentra a maior expectativa de vida do país, entre 90 e 95 anos, e a segunda grande convergência de homens centenários. Mais uma vez, os pesquisadores apontam a dieta como causa mor do fenômeno. Além de leguminosas como feijão, lentilha e ervilha, o segredo está nas frutas mañaron, espécie de caju riquíssimo em vitamina C, e noni, antioxidante da família das peras, além da água, com grande concentração de cálcio e magnésio. Acrescente à fórmula a rotina simples em meio a alguns dos principais pulmões verdes e reservas de vida selvagem do planeta, a exemplo dos parques nacionais Diriá, Barra Honda e Marino Las Baulas. Las playas de Tamarindo, Guiones, Nosara e Ostional fazem a alegria de surfistas, ajudando na vibe desapegada, coletiva e altamente amigável, típica da felicidade ensolarada da Costa Rica.

 

Loma Linda, Estados Unidos

A menos de 100 quilômetros das luzes faiscantes de Los Angeles, esta pacata cidade de 23 mil habitantes tem expectativa de vida de 90 anos, uma década à frente dos demais norte-americanos. Na contramão do fast food, Loma Linda se caracteriza como refúgio dos vegetarianos, representados especialmente pelos adventistas, comunidade de religiosos protestantes que adotam um estilo de vida saudável. Leia-se: dieta à base de vegetais, frutas e castanhas, atividade física moderada, espiritualidade e abstinência de álcool e tabaco. A localidade também desponta como destino para o turismo médico e de saúde, graças ao centro de pesquisas e do hospital de ponta da universidade local, especializado em terapia neonatal, pediatria e transplante de órgãos. Desacelerada e low profile, Loma Linda ainda exibe ruas arborizadas, parques urbanos e projetos de energia alternativa, que lhe atribuem o codinome de “cidade verde”.

0 Comentário

Comentários com conteúdo impróprio e/ou spam poderão ser removidos.