Compartilhe
facebook twitter gplus mail

Paris: abriu o museu Yves Saint Laurent!

03/11/2017
Criações icônicas do estilista estão expostas no novo museu (Foto Luc Castel / Museé Yves Saint Laurent Paris)
Croquis e esboços do estilistas podem ser conferidos de perto

@parisianglobetrotter. Especial para a Teresa Perez.

Fashionistas, vamos dar um pulinho em Paris? A exposição Dior nos Arts Décoratifs, esplêndida, parece um conto de fadas; a mostra de fotos do Irving Penn, no Grand Palais, é imperdível.

E a última novidade é a abertura do novíssimo museu Yves Saint Laurent, o primeiro e único museu da cidade dedicado a um estilista. Fomos visitá-lo e contamos tudo aqui.

 

Nos bastidores de uma Maison de alta costura
O museu fica nos antigos ateliês que Yves Saint Laurent ocupou durante quase trinta anos, num belíssimo sobrado pertinho dos Champs Elysées. A visita é super didática, com esboços, amostras de tecidos e vídeos dos funcionários que trabalharam com o mestre. As explicações sobre o processo criativo do começo ao fim são de excelente qualidade.

 

Know-how e coleções únicas, ao alcance da mão
Desde 1964, Yves Saint Laurent começou a constituir um acervo, conservando algumas peças de suas coleções para o futuro. Hoje, o patrimônio reunido é de milhares de roupas de alta costura junto com toda a documentação para confeccioná-las: é um acervo único no mundo da moda! Só algumas delas estão apresentadas no museu: alguns clássicos, roupas exóticas e exuberantes, vestidos de festa, um belíssimo vestido de noiva. Estão expostas a alguns centímetros de nossas mãos, que dariam tudo para acariciar os bordados, tecidos, plumas e joias deslumbrantes. 

 

Um diálogo emocionante com Pierre Bergé 
Só pelo filme, vale a pena visitar o museu! A história da Maison por dentro, Saint Laurent narrado com admiração por Bergé e o amor imenso de um pelo outro, que durou cinquenta anos!

 

A reconstituição perfeita do Estúdio do YSL
Uma sala clara e sóbria; uma parede cheia de livros, botões e panos; bordados, amostras de cores, telefones da época. Tudo foi colocado do jeitinho que era quando Yves Saint Laurent e sua equipe trabalhavam nessa sala. Tem até sua escrivaninha com seus óculos, sua bata branca e seus lápis de todas as cores. Parece que ele vai surgir a qualquer momento. Da até arrepios!

Ao criar esse museu, Pierre Bergé escreveu que ele queria mostrar ao mundo o talento, o gosto, o olhar, a honestidade, a exigência de Yves Saint Laurent. Ele faleceu alguns dias antes de sua inauguração e agora descansa em Marrakesh junto a seu amado. É comovente.

0 Comentário

Comentários com conteúdo impróprio e/ou spam poderão ser removidos.