Compartilhe
facebook twitter gplus mail

A tradição dos azulejos portugueses em Lisboa

10/11/2016

 

Símbolos de Portugal, os azulejos contam histórias, colorem prédios e casas e convidam o visitante a fazer uma viagem encantada pelas ruas de #Lisboa. 
Dunia Schneider. Especial para Teresa Perez

Com suas ruelas charmosas, gastronomia de dar água na boca e vistas de cair o queixo, a capital portuguesa é uma das mais belas cidades da Europa. O sol brilha o ano todo, a noite pulsa e, para a alegria dos visitantes, tanto os conservadores quanto os mais cool, a arte da azulejaria é uma das coisas mais belas de se ver por lá! De origem árabe, as peças coloridas, tradicionalmente em azul e branco, chegaram na Europa no século 16. 

Os mosaicos de cerâmica que decoravam os palácios fascinaram os europeus, mais especificamente os portugueses que, mais tarde, transformaram o estilo de decoração em uma arte. Foi assim que surgiram os famosos desenhos de episódios históricos, cenas mitológicas, iconografias religiosas e elementos decorativos, que transformaram Lisboa em referência mundial nesse tipo de arte. Do barroco, passando pela Art Nouveau até os dias atuais, dá para encontrar um pouco de tudo passeando pelas ruas. Mais tarde, essa arte da azulejaria se espalhou pelo mundo.

Por aqui, cidades como São Luís (MA), Belém (PA) e Salvador (BA) abrigam imóveis decorados com as peças. Até trabalhos mais contemporâneos, como o da artista plástica Adriana Varejão – que usa os azulejos como signos em suas obras –, são inspirados no estilo. Se o seu próximo destino é Lisboa, aproveite as dicas, monte o seu roteiro e conheça essas maravilhas da cultura portuguesa.


Onde ver 

 

Casa do Ferreira das Tabuletas

O que ver: A decoração do prédio, construído em 1864, cheia de figuras alegóricas que representam a Terra, a Água, o Comércio, a Indústria, a Ciência e a Agricultura. Rua da Trindade, 28-34

 

Loja da Fábrica de Cerâmicas Viúva Lamego

O que ver: A fachada adornada de azulejos da antiga fábrica fundada em 1849 e que hoje funciona na cidade de Sintra, a 30 quilômetros de distância de Lisboa. viuvalamego.com
 

Igreja de São Vicente de Fora

O que ver: O maior conjunto de azulejos barrocos do mundo, incluindo uma série de 38 painéis que ilustram as fábulas do autor francês Jean de La Fontaine.
Largo de São Vicente, 1100-572
 

Museu Nacional do Azulejo

O que ver: Os painéis que imitam tapeçarias, pinturas e passagens bíblicas. O museu reúne 500 anos de história e é o único no mundo dedicado a esta arte. Rua Me. Deus 4,
museudoazulejo.pt

 

Oceanário de Lisboa

O que ver: O mural da rampa de acesso, cheio de cavalos-marinhos, algas, tubarões, tartarugas e peixes, que eterniza a ligação de Lisboa com o oceano. Esplanada Dom Carlos I s/nº. oceanario.pt
 

Museu de Lisboa

O que ver: A exposição Fragmentos de Cor – Azulejos do Museu de Lisboa com uma coleção de peças, a segunda maior do país, que foram salvas de prédios em ruínas. Campo Grande, 245. museudelisboa.pt 

Clientes que viajam com a Teresa Perez recebem um guia personalizado com dicas exclusivas de Lisboa.

 

0 Comentário

Comentários com conteúdo impróprio e/ou spam poderão ser removidos.